A exposição “No armário de Mademoiselle Debret Le Blanc”  reunirá trajes sociais de edições do concurso Miss Brasil Gay. O evento acontece entre os dias 9 e 19 de agosto, durante a II Semana Rainbow da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Ao todo serão expostos, na galeria do Hotel Ritz, dez vestidos longos, dois conjuntos de blazeres e tops, além de cerca de 28 acessórios, entre bolsas, sapatos, luvas, brincos, pulseiras, gargantilhas e colares.

De acordo com a professor do Bacharelado em Moda do Instituto de Artes e Design  da UFJF e curador da iniciativa, Luiz Fernando Ribeiro, a exposição pretende resgatar a memória afetiva e visual dos trajes. “Na maioria dos casos, as peças foram expostas ao público uma única vez, ou seja, durante o concurso e/ou através de registro fotográfico e jornalístico. Portanto, trazer esses trajes à tona é constatar que, apesar de alguns vestidos terem mais de 20 anos, muitos deles continuam dentro dos padrões da moda atual, bem como os materiais e as técnicas usadas quando foram confeccionados”.

Ribeiro destaca que o evento será oportunidade de as pessoas conhecerem as histórias de roupas e acessórios. “Essas peças contam sobre os costumes, as maneiras, os relacionamentos, as regras sociais, a tecnologia, a manufatura, o gosto e as tradições da época.”

Reconhecimento e homenagem

O nome da exposição é uma homenagem ao idealizador do Miss Brasil Gay e proprietário do acervo que será exposto, Francisco Mota. Ele encarnava, nas apresentações do concurso, uma personagem feminina, aMademoiselle Debret Le Blanc.

“Ele buscou inspiração na Madame Socila – proprietária de uma escola de etiqueta homônima no Rio de Janeiro. Essa é a imagem mais conhecida de Francisco Mota, carinhosamente conhecido como Chiquinho Cabeleireiro, que por muitos anos exerceu a profissão na cidade. A  proposta da exposição é utilizar o vestuário da personalidade Chiquinho Mota que, por mais de 30 anos, atuou na produção e realização anual do Miss Brasil Gay. O concurso, que acontece há 42 edições, é um patrimônio imaterial de Juiz de Fora.”

Originalidade e criatividade

Ribeiro explica que Francisco Mota participou ativamente da escolha das peças a serem expostas durante a II Semana Rainbow, bem como os estudantes do Bacharelado em Moda. A ideia de organizar a exposição surgiu a partir de estudos e pesquisas realizados na UFJF, visando a aprimorar e incentivar o aprendizado dos graduandos.

“Desenvolvo um projeto na UFJF de organização de acervo técnico de vestuários. Atualmente, são quatro coleções do segmento do traje social,ou seja, a indumentária das atividades sociais, usadas em festas, reuniões, coquetéis e casamentos. O acervo já possui cerca de 263 peças do vestuário e 100 acessórios diversos, além de materiais referentes à criação e pesquisa de tecidos e estampas de uma fábrica juiz-forana. Dentro desse projeto, os trajes de gala e típicos do concurso Miss Brasil Gay sempre nos despertaram interesse, por conta da  originalidade e da criatividade. Além disso, a confecção desses trajes envolveu diversos profissionais da área da moda da cidade”, salienta Ribeiro.

A exposição “No armário de Mademoiselle Debret Le Blanc” será realizada no período de 9 e 19 de agosto, das 10h às 21h, na Galeria Portinari, no Hotel Ritz. O endereço é Avenida Barão do Rio Branco, 2.000, Centro. A entrada é gratuita.

A atividade integra a II Semana Rainbow da UFJF, projeto de extensão cuja realização é uma parceria das diretorias de Ações Afirmativas e Imagem Institucional, da Pró-reitoria de Cultura e de diversos cursos da UFJF.